Programa Bolsa Primeira Infância 2020 – entenda mais

Com o passar dos anos, os governos estaduais têm se preocupado ainda mais com as crianças. E isso é um quesito importantíssimo e que merece total dedicação e disposição dos órgãos de educação. Por esse motivo, foi lançado o Programa Bolsa Primeira Infância 2020. 

A ação foi lançada com uma Proposta de Lei (PL), que em breve deve ser votada e se aprovada, irá ajudar famílias em situações de vulnerabilidade social e que não possuem condições de sobreviver sozinhas e necessitam de apoio do governo. 

Preparamos esse texto, para que você compreenda o programa e de tudo a respeito. Sobre como vai funcionar, e qual o benefício do mesmo para a sociedade.

programa
Foto: (Reprodução/internet)

Caso você identifique alguém que pode entrar no programa, por se adequar às necessidades do mesmo, você pode informá-lo e direcioná-lo a participar do mesmo. 

Bolsa Primeira Infância 2020

Antes de tudo, é importante que você entenda o que é o programa, confira: No dia 25 de novembro foi lançado um Projeto de Lei (PL), na prefeitura de São Paulo à câmara municipal. Com a intenção de beneficiar famílias em situação crítica e vulnerável, com crianças de 0 a 3 anos de idade. 

ANÚNCIO

Essas crianças serão ajudadas a se matricularem nas redes de ensino municipais. Os benefícios chegam a R$100 mensais por criança. Há um limite máximo de três crianças por família. Com exceções caso haja nascimento de mais de uma criança por gestação. 

Por meio de visitas domiciliares de técnicos capacitados, que tem o objetivo de orientar as famílias sobre a infância e o seu desenvolvimento cognitivo para famílias pobres do Brasil. O projeto tem total apoio do Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD).

Como funciona o Bolsa Primeira Infância

A proposta prevê que o benefício seja temporário, ou seja, assim que a criança completar a idade limite de três anos, a bolsa se encerra. A ajuda de custo será determinada, assim que houver uma oferta de uma vaga gratuita em uma unidade de educação infantil para a família.

Sendo ela próximo a residência ou ao endereço de trabalho dos pais ou responsáveis pelos menores. As vagas do programa devem ser ofertadas para as crianças na rede direta ou em parceria da Secretaria Municipal de Educação (SME). Em alguns casos, podem ser oferecidos em instituição credenciada em algum programa do próprio SME.

Por fim, o Bolsa Primeira Infância exige às famílias uma participação diferenciada. A ideia é que os pais ou responsáveis participem de atividades de orientação sobre parentalidade, cuidados com a primeira infância, bem como o cumprimento de vacinação da criança. 

O programa deverá ser votado em breve e caso seja aprovado, novas informações serão divulgadas pelo governo de SP. Este é um programa que irá beneficiar cerca de 420 mil crianças.

ANÚNCIO